Um alerta que eu não recebi (Confinamento precoce - utilidade)

Conheço tanta gente, tenho acesso a tanto conteúdo diariamente, como eu nunca tive contato com esse assunto?

Todo ano, 15 milhões de pessoas sofrem algum tipo de AVC no mundo. 5 milhões morrem e outros 5 milhões ficam com alguma deficiência permanente. Os dados são da OMS (Organização Mundial da Saúde.)

Ano passado eu entrei pra essa estatística. Mês passado, uma amiga faleceu e também entrou. Semana passada foi outra conhecida.

Eu, como sobrevivente, me sinto no dever de evitar que outras pessoas passem pelo que eu passei e ainda passo.

O AVC é a segunda causa de morte no mundo, só perde para os problemas cardiovasculares. É o terceiro motivo pelo qual se adquire alguma deficiência.

Em outras palavras, o AVC é um problema de saúde pública global. Porque eu não conhecia os sintomas? Que azar gigante.

Na primeira dor de cabeça forte, na primeira tonturaeu já teria corrido para o hospital.

É fácil reduzir os riscos. Se você não fuma, ponto pra você. Se fuma, o ideal é parar, claro.

Controlar a pressão arterial é outro ponto importante. A pressão alta e o tabagismo são sérios potencializadores.

Se liga nesses dois fatores. Mesmo que você não fume, monitorar a pressão pode salvar sua vida.

Alimentação e estilo de vida também contam muito. Mas infelizmente o meu histórico de atleta e a alimentação saudável da Giovana não foram suficientes. O que eu tinha dentro de mim era uma bomba relógio

No meu caso, não tinha tabagismo, não tinha pressão alta, não tinha problemas com a chegada do sangue na cabeça, não tinha histórico familiar. Nada!

Fui diagnosticado com uma doença autoimune que pode provocar microtromboses pelo corpo.

Tive lesões no lóbulo occipital e no cerebelo, que culminaram numa hemorragia que foi parar no tronco-encefálico.

Como eu estou hoje, não vem ao caso. Seria muita reclamação em um texto só. O que posso dizer é que a vida mudou muito e tem muita, mas muita fisioterapia pela frente. Tenho sorte por ter me restado tanto - minha mente, principalmente.

E tudo poderia ter sido evitado com um pouco de informação. Não precisava muito, bastava conhecer alguns sintomas.

Então, deixo dois recados. O primeiro é que você deixe de achar que você está a salvo. O segundo são os sintomas para você se ligar.

  • Dormência repentina ou fraqueza no rosto, braço ou perna, especialmente em um lado do corpo;

  • confusão repentina, dificuldade para falar ou dificuldade para entender a fala;

  • problemas repentinos de visão em um ou ambos os olhos;

  • problemas para caminhar, tonturas, perda de equilíbrio ou falta de coordenação;

  • dor de cabeça forte repentina sem causa conhecida.

Durante um AVC, cada minuto conta. O tratamento rápido pode diminuir os danos e/ou salvar uma vida.

Se você sentir algum destes sintomas, não espere melhorar. Pode ser que os sintomas passem.

Na primeira vez que eu fui no hospital, os sintomas estavam muito brandos. Pra se ter uma ideia, eu entrei e saí andando e voltei para casa sob o efeito de um paracetamol.

Na segunda vez, entrei no hospital desacordado e demorei cerca de 3 horas para ser atendido (cabe processo, produção?).

Os dados expostos neste texto foram retirados dos sites da Organização Mundial de Saúde e da CDC (Center for Disease Control and Prevention). Deixo os links abaixo.

O recado principal que eu deixo é: saiba ouvir seu corpo e respeite o que ele diz. Sempre.

Photo by Zhen Hu on Unsplash

https://www.who.int/bulletin/volumes/94/9/16-181636/en/

https://www.cdc.gov/stroke/signs_symptoms.htm

Recent Posts